Eu, Minha guria e um casal radical

Já faz algum tempo que não escrevo as aventuras com minha linda Isa. Mas este relato merece ser compartilhado.
Minha fofa estava toda cheia de mistérios, para eu conhecer um novo casal de amigos que ela conheceu em uma de suas visitas a um clube de swing. Ela disse que eu iria gostar deles e que com certeza iria adorar transar com a menina.
Ela disse que eles seriam meio “radicais” mas sem explicar com detalhes, enquanto subíamos as escadas para o apartamento deles. Minha deliciosa Isa na frente com um vestidinho bem curto que que deu vontade de enfiar a mão em sua boceta, só não o fiz pela quantidade de câmeras espalhadas no edifício.

Então assim que chegamos ao apartamento, já fiquei impressionado com eles fisicamente. O Alemão era um cara de aproximadamente 40 anos, loiro de olhos azuis e com o corpo bem malhado.
Sua esposa, que chamamos carinhosamente de Italianinha, uma linda garota de pele clara e cabelos escuros. Assim que ela nos recebeu eu já fiquei de pau duro, pois ela estava nos aguardando vestindo apenas um roupão, que deixava de fora um par lindo de pernas e marcado pelo volume de seus seios pequenos mas rígidos.
Nos acomodamos e ela já veio com algumas cervejas e uma jarra de caipirinha de vodca! Sinceramente a caipirinha estava tão gostosa que até esquecemos que havia álcool nela kkk. Logo estávamos os 4 conversando e rindo e já tontos.

Assim que acabou aquela jarra, minha Isa e ela foram a cozinha preparar mais caipirinha, enquanto fiquei conversando com o Alemão. Eu elogiando o corpo de sua esposa, e ele lembrando que a bunda de minha namorada faz qualquer eunuco se excitar.
Como elas estavam demorando, fui até a cozinha para ajuda-las, mas quando chego já tenho uma deliciosa surpresa.
Isa tinha terminado de preparar a caipirinha mas nem conseguiu traze-la pois a Italianinha já estava apenas de calcinha e despida do roupão, empurrava minha linda debruçada sobre a pia. Ela subiu a vestido de minha garota até o pescoço e a abraçava por trás apertando seus seios e esfregando sua boceta na bunda linda de Isa.
Achei melhor ainda não as incomodar, apenas apalpei as nádegas da Italianinha, que sem tirar as mãos de Isa me deu um delicioso beijo na boca e pediu para deixa-las brincar sozinhas um pouco.
Voltei com a jarra para a sala e continuei o papo com o Alemão, descrevendo a cena que encontrei na cozinha. Ele riu e disse que eles adoram sexo e que são bissexuais pois entendem que “sexo não tem sexo”.

Eu logo deixei claro que Isa adora curtir uma menina, mas que sexo com homens não seria minha praia e nunca fiz. Ele riu e disse que realmente só devemos fazer o que nos der prazer.

Nisto já fomos para o quarto e as meninas já estavam lá nuas, com a Isa deitada na cama de costas e pernas abertas enquanto a Italianinha dava um delicioso banho de língua no meio de suas pernas.
Além da língua, a Italianinha enfiava seus dedos em sua boceta e percebi que atingia com exatidão o ponto G de minha gatinha. Ela enfiava a cabeça com tanta vontade entre as pernas de minha garota, me excitando tanto que logo eu e o alemão já estávamos nus e com os paus bem duros.
O Alemão tinha um pau não muito grosso mas maior que o meu e vendo aquela bundinha da esposa empinada, ele começou a penetrar sua esposa que já devia estar com a boceta encharcada.
Eu levei meu pau a boca de Isa e ela me chupava cada vez mais forte. A cada socada do Alemão na boceta da esposa, ela enfiava mais os dedos e chupava a boceta de Isa e esta quase arrancava meu cacete de tanto que chupava. A embriagues que já havia nos consumido e a magia deste momento de sexo fez um ambiente magico que logo levou a Italianinha a gozar forte e minha gatinha gozar junto, tão forte que se não tivesse com meu pau na boca ela teria acordado o prédio todo.
Enfim elas pararam para descansar, o mesmo nos dois.
Após poucos minutos de trégua e a Italianinha veio e me deitou de costas, colocando os dois joelhos em torno de minha cabeça e descendo com a boceta esfregando em minha boca. Enquanto eu a chupava, ela perguntou se eu estava sentindo o gostinho do pau do marido. Eu nem respondia, pois além de estar curtindo sua boceta, Isa já estava chupando meu cacete.
Mas dai veio a primeira surpresa da noite. Enquanto Isa estava ajoelhada ao meu lado e chupando meu cacete, o alemão se abaixou entre minhas pernas e começou a lamber meu saco. Quis fazer o movimento para parar, mas tonto pela vodca e sufocado pela boceta da Italianinha, sou obrigado a aceitar que ele fez um trabalho delicioso, juntamente com a boca da Isa.
Ele logo tirou meu cacete da boca de minha namorada e começou a chupar, trocando de posição com Isa que neste momento começou a chupar meu saco e massagear minha bunda e a entrada de meu cu. Foi difícil não gozar, tive que pedir para pararem,
Então o Alemão pegou minha namorada de 4 e começou a enfiar aquele cacete com força em sua boceta, a ponto que ela precisava segurar o pau dele com uma das mãos, para ele não a machucar devido ao tamanho do cacete.
A Italianinha aproveitou que eles deixaram meu cacete duro e sozinho e sentou em cima dele, fazendo ele desaparecer dentro de sua boceta. Minha garota também já tinha mudado de posição e agora as duas nos cavalgavam, cada uma com o par trocado, enquanto se beijavam na boca. Eu apertava os seios da Italianinha e o Alemão se aproveitava da proximidade e as vezes passava a mão em minha bunda, o que não estava me deixando muito a vontade mas deixei rolar um pouco.
Dai pedi para a Italianinha sair de cima um pouco, peguei um gel e fui atrás de Isa e comecei a passar gel em seu cuzinho. Neste momento ela até parou de cavalgar sobre o pau do Alemão para facilitar meu carinho.
Ainda sentada no pau do cara, eu a empurrei para deitar sobre ele e comecei a invadir com meu cacete aquele cuzinho delicioso, enquanto dava tapas gostosos em sua bunda. Ela gemia e beijava o Alemão, sentindo ambos os cacetes dentro dela.
Ela gozou novamente mas não queria que parássemos, quando a Italianinha veio no meu ouvido e pediu algo que Isa nunca tinha feito. Ela queria ver a boceta da minha garota com os dois cacetes dentro.
Retirei o cacete de sua bunda e comecei lentamente e com cuidado, para não machuca-la, a penetrar sua boceta ainda com o pau do Alemão dentro dela. Isa tentou protestar, mas a Italianinha disse que era para ela aguentar firme.
No inicio me senti estranho, mas o contato de outro pau esfregando meu pau esmagados dentro da boceta da minha gatinha foi muito bom. O desconforto inicial logo transformou a experiencia de minha gatinha em um tesão incrível. Ela gozou imediatamente, com os dois cacetes na boceta.
Isa deitou ao lado com a boceta ardida, mas saciada.
A Italianinha quis a mesma experiencia, mas Isa disse que não, deveria ser algo mais radical. Ela queria ambos os cacetes no cú da Italianinha, não apenas em sua boceta. Ela quis pular fora, mas o marido disse que ela nunca tinha recusado algo.
Que iriamos fazer com muito cuidado e carinho e que se ficasse muito dolorido a ponto de cortar o tesão, pararíamos imediatamente.
Incrível, mas depois de trabalharmos juntos acariciando e alargando seu cuzinho com os dedos, não tivemos dificuldades em penetrarmos juntos aquele mesmo buraco.
Ela urrava reclamando de dor, mas que nem era para pensarmos em parar. A Italianinha teve um dos gozos mais fortes da noite.
Então eu deitei de costas para descansar, mas sem tempo pois Isa logo deitou ao meu lado e pediu para come-la no melhor estilo papai mamãe e nos beijávamos apaixonadamente.
Com a Italianinha ainda se recuperando, o Alemão veio e colocou seu cacete na boca da Isa, que começou a alternar entre o cacete duro do Alemão e minha boca. Parece que queria que eu sentisse o gosto do cacete dele.
Parece não, pois em determinado momento ela segurou o pau dele, e empurrou meu rosto até encostar o cacete duro em minha cara. Ela pediu para eu chupa-lo e retribuir o carinho que ele me fez.
Misturado com o tesão, com todas as vodcas que tomei e com o pedido de Isa que ela queria muito, abri a boca e deixei o Alemão enfiar aquele cacete em minha boca.
Ainda estava comendo minha gatinha, e agora chupando um cacete. Parece incrível, mas me deu muito tesão cada vez que minha gatinha pedia para tentar engolir tudo.
Ficamos assim por vários minutos até a Italianinha dizer que ela agora estava pronta para a próxima etapa!
Quando olhei do lado, ela chamava seu marido para deitar de bruços. E começou a passar gel no cuzinho dele. E ela estava com um pênis de borracha preso na cintura.
O pênis de borracha era menor que o pau do Alemão, mas mesmo assim vi a cara de dor dele quando ela deitou sobre o marido e começou a penetrar com aquele cacete.
Enquanto isto Isa saiu de baixo e começou a passar gel em meu cú.
Logo eu disse para ela que não iria querer passar pelo mesmo, mas nem tive tempo pois a Italianinha retirou o cacete do cu do marido e começou a me penetrar.
Sentia uma dor incrível, mas estava muito embriagado e sem forças para resistir. Senti quando parou a dor e que já estava dentro e eu me acostumando. O Alemão colocou novamente o cacete em minha boca. Eu que nunca tinha feito algo parecido, agora tinha um consolo enfiado no rabo e um cacete real na boca.
Isa olhava para mim e se masturbava, dizendo que queria muito me ver assim e que estava sendo maravilhoso.
Nem tive tempo de negar quando o Alemão então assumiu o lugar da esposa e começou a me comer. Já estava totalmente entregue e aceitei. Ele gozou forte dentro de minha bunda, nunca um homem tinha me penetrado, ainda mais gozado.
Agora apenas eu que não tinha gozado, quando a Italianinha veio e começou a me chupar, só que desta vez tirou a camisinha e pediu para encher a boca dela de leite.
Ela iniciou uma deliciosa punheta e lambia meu cacete e eu mostrei que iria gozar. Neste momento minha namorada disse: “Agora chega”.

Isa tirou meu pau da boca da Italianinha e disse que iria fazer algo que nunca tinha feito e que eu sempre pedi. Começou a me punhetar e quando eu ia gozar abriu a boca e começou a chupar meu pau.
Eu já tinha gozado antes em sua boca, mas ela colocava apenas a língua de fora e não me deixava gozar dentro. Desta vez ela abocanhou meu pau e não deixou sair uma gota de porra. Em seguida, após o termino do meu gozo ela fez questão de olhar para mim e abrir a boca, mostrando que engoliu todo meu creme.

Eu já não aguentava mais, o Alemão queria que eu o comesse, só que depois daquele gozo acabou meu desejo por um homem. Não iria dar.
Mas a Italianinha não estava satisfeita, deitou de pernas abertas e puxou minha fofinha que começou a chupar sua boceta.
Isa passava a língua em seu grelinho, enfiava na sua boceta e ainda descia com a língua até o cuzinho da garota. Elas ficaram nesta posição tanto tempo que eu e o Alemão já ficamos de pau duro novamente.
O Alemão aproveitou minha guria chupando a esposa e enfiou o cacete no seu cuzinho delicioso, fazendo ela gemer forte enquanto chupava aquela boceta.
Ele pediu para eu ficar em pé ao lado da cama e deixa-lo me chupar enquanto ele comia minha namorada, mas não tive vontade. Desejei os lábios carnudos e femininos da Italianinha.
Neste momento o Alemão começou a gozar dentro do cuzinho de minha garota, o que parece que contaminou as garotas que começaram a gozar juntas.
Eu gozei novamente, desta vez enchendo a boca da Italianinha de porra.

Depois desta não tínhamos mais condições físicas de continuar. Fomos embora e eu um pouco envergonhado com o que tinha deixado acontecer. Mas minha garota disse que adorou e que disse que precisaríamos fazer mais vezes isto.
Bom, pela minha vontade não acredito que haverá outra, mas não irei apostar em outra oportunidade com muito mais vodka e cerveja!!!

Deixe um comentário

CAPTCHA



Online porn video at mobile phone


contos eroticodconto erotico troca trocaconto erotico ubercantos eroticoscontos sexo gayimcestocontos eroticos categoriaconto erótico lésbicaconto eroticosrelatos de sexocontos eroticos de novinhascontos eroticos de meninas novinhascontos eroticos encoxadasconto erotico insestocontos erocontos heroticos reaiscontos eroticoscontos eróticos onibuscontos eroticos de cornocontos reais de incestocontos eroticos de incestocontos eróticos gaycontos eroticos de travestiscontos eróticos safadoscontos eróticos meninasconto erótico padrastoconto erótico professorcontos.eróticoscontos eróticos perdendo a virgindadecontos eróticos de gayrelatos de cornoscontos de putariasrelatos eroticosconto erotico massagemcintos eroticoscomendo um cuzinhocontos eroticos categoriacontos de incesto mae e filhocrossdresser contoscontos sexycontos de coroascunhada gostosacontos eroticpscontos eroticos novinhahistoria eroticacontos eroticos por categoriacobtos eróticoscontos eroticos maecontos eroticos mãeconto erotico novinhacontos eroticos com travestisconto wroticoforum eroticocontos eróticos femininocontos eroticos genrocontos eroticos insestosconto erotico faculdadecontos eróticos de incestosconto de travesticontos eroticos cunhadaencoxando a maedei pro meu cunhadocontos eroticoscontos eroticos gay 2018contos eróticoscontos eroticos femininosconto erroticocontos de traiçaocontos glscontos eroticos de encoxadascontos eroticos no onibuscontos eróticos incestoscontos eróticos de novinhascontos eróticos safadoscontos eroticos mae e filhohistória eróticosconto erótico irmãocontos eroticos lesbicasmeu primo me comeucontos eróticoporno contos eroticoscontos analcontos eroticosaconto erotcontos eroticos na academiacontos eroticos entre irmaoscontos eroticos comendo a sogracontos eroticos cornoscontos eroticos com sogra