Flagrei Meu Avô metendo na minha mãe safada

Eu (Cristina) e minha mãe safada, fomos obrigadas a aceitar o convite do meu avô (pai do meu pai) pra ficar morando com ele até as coisas voltarem ao normal. Meu pai que estava desempregado e passando por dificuldades financeiras foi trabalhar em Portugal a convite de um amigo pra administrar um hotel que recebia muitos brasileiros. A intenção dele era se caso desce tudo certo nos levar também pra Portugal. A casa do meu avô tinha apenas dois quartos, e um foi preparado pra que eu ficasse junto com minha mãe. Meu avô estava com aproximadamente uns 62 anos e ainda bem forte… Ele que vivia apenas de sua aposentadoria fazia tudo pra que não nos faltasse nada. Minha mãe acabou arrumando um emprego de secretária com um amigo do meu avô que tinha um

escritório de contabilidade… Com meu pai só conversávamos por via internet. Tudo corria normalmente, até que um dia (sábado) acordei e indo até a cozinha encontrei meu avô, e minha mãe ainda de camisola preparando o café. Disse que ia tomar um banho rápido e fui pro banheiro. Abri o chuveiro e fui fazer um xixi… Mas quando percebi que a água não estava esquentando resolvi chamar meu avô ou minha mãe pra mudar a chave do chuveiro (eu muito baixinha) que se encontrava no “modo frio”. Ao me aproximar da cozinha tive que ficar parada olhando minha mãe debruçada sobre a mesa com a camisola levantada e meu avô com as calças arriadas fazendo movimentos de vai e vem com sua virilha batendo repetidamente na bunda dela. Minha mãe gemia baixinho, e, de repente meu avô parou tirando de dentro da minha mãe seu pinto… Ele tinha me visto parada olhando pra eles. Mas antes dele falar alguma coisa, minha mãe que tinha o rosto virado pro lado contrario.
– Não para Pedro… Não para… Já estou quase!…
Meu avô fazendo sinal com um dedo sobre sua boca indicava que era pra eu ficar em silêncio voltou a enfiar seu pinto na minha mãe voltando a fazer movimentos pra frente e pra trás cada vez mais rápido… Pude ouvir minha mãe dizendo que estava gozando e meu avô novamente me olhando fez gestos com a mão pra que eu me afastasse. Voltei pro banheiro e acabei tendo que tomar banho frio… Excitada acabei tocando uma siririca com a imagem do meu avô fodendo minha mãe. Na frente do meu avô, da minha mãe; ou com os dois, me esforçava pra agir naturalmente. Como eu estudava na parte da tarde, na parte da manhã eu sempre ficava sozinha com meu avô após minha mãe sair pra trabalhar. Só na quarta-feira quando estava tomando meu café; minha mãe já tinha saído, meu avô sentou na minha frente.
– Que bom que você soube guardar segredo!
Eu sem olhar diretamente pro meu avô.
– Faz tempo que você faz isso com minha mãe?…
– Não Cristina… É que sua mãe, sem seu pai, passou a sentir falta; você entende?
– Entendo sim vô… Não se preocupe.
Dias depois meu avô me pediu pra que eu saísse de casa pra ele poder ficar sozinho com minha mãe… Ele me deu dinheiro pra eu ir lanchar no shopping e voltasse só depois de duas horas. No dia seguinte na cozinha.
– Você e a mãe transaram ontem?
– Ué… Foi por isso que pedi pra você ir pro shopping. Mas oh! Continua segredo, ok?
– Pode deixar vô… Só que eu tinha vontade de ver vocês de novo… Kkkkkk.
– Por mim não teria problema… Mas lógico que sua mãe não ia aceitar de jeito nenhum, né?
– Tô brincando vô… Isso é uma coisa muito íntima de vocês.
– Mas você sabe que só faço isso pra ajudar sua mãe, né?
– Tá bom vô… Eu acredito!
– É sério… Até você se precisasse, eu te ajudaria.
– Ahammmm??? Como assim vô?
Ele sempre rindo.
– Ué, vai que você fique sem transar com seu namorado por muito tempo!
– E você ia fazer comigo o que anda fazendo com minha mãe?
– Se você quisesse, é claro!
– E você acha que eu já transo com meu namorado?
– E não transa?
– Bem… Só às vezes, quando vou na casa dele e os pais dele não estão.
– E as vezes, você não sente falta de sexo?
– Sinto né vô… Mas consigo me controlar.
– Então… Se precisar de mim, é só falar!…
– Nossa vô… Você é muito sem vergonha, kkkkk…
– Não sou não… Só que depois de ficar sozinho por muito tempo, tenho duas mulheres lindas morando comigo.
– Mas pelo que vejo, além de transar com minha mãe, pensa em transar comigo também, né?
– É… Só que nunca vou forçar nada… Só se você aceitasse.
– Tá bom vô… Vou pensar nisso, tá?
Aquela conversa foi fazendo minha bucetinha ficar latejando e toda molhadinha, que tive que ir pro meu quarto e tocar uma siririca pra me aliviar. Logo no dia seguinte, antes de tomar o café, foi tomar banho e novamente a chave do chuveiro estava no frio. Como estava calor, até dava pra tomar banho, mas resolvi me enrolar em uma toalha e chamar meu avô pra mudar pro “banho morno”. Ele mudou e abriu o chuveiro.
– Vê se ficou boa, ou se mudo pro “quente”?
Com minhas pernas tremendo e o coração disparado, tirei a toalha do meu corpo e fui entrando no box já enfiando o corpo debaixo da ducha… Meu avô só enxergava meu traseiro todo nú.
– Tá boa sim vô… Obrigada!…
Eu que achava que ele ia querer aproveitar a oportunidade, achei estranho ele sair do banheiro. Terminei meu banho e ao chegar na cozinha não vendo meu avô resolvi ir até seu quarto. Entrei e ele estava deitado, pelado, de pau duro apontando pro teto. Ele me vendo na porta.
– Quer vir aqui, Cristina?
Me aproximei da cama de olho daquela pirocona grande e grossa.
– Quer deitar um pouco aqui comigo?
Só sentei do seu lado.
– Porque você está assim?
Ele mexendo no seu pau com sua própria mão.
– Estava esperando por você!
– É?????…
– Quer brincar um pouco com ele?
– Brincar?
– É Cristina… Vai me dizer que você não brinca com do seu namorado?
Levei a mão segurando aquela trolha dura que nem uma rocha.
– Brinco sim!…
– Então… Pode brincar com ele também… Você já chupou seu namorado?
– Vô?????
– Eu adoro chupar uma bucetinha… Depois eu chupo a sua, se quiser!
Fui reclinando e dando alguns beijinhos na ponta.
– Me chupar vô, é?…
– É Cristina, seu namorado nunca te chupou?
Eu já colocando a boca em torno daquela pirocona.
– Nunca!…
Comecei a chupar e logo estava mamando e punhetando meu avô, que gemia.
– Que boquinha gostosa… Chuuuuupa… Chuuuuuupa!…
Quando ele disse que ia gozar, mesmo antes de tirar a boca recebi um jato forte de porra que bateu na minha garganta… O resto ele aparou com sua bermuda. Depois, ele mesmo tirou meu short e minha calcinha pra começar a lamber minha xoxota e ficar mordiscando levemente meus lábios vaginais… Urrei de prazer.
– Ooooooh vôôôôô!!!!! Maaaiiiissss… Maaaaiiiissss…
E tive um orgasmo delicioso, coisa que só conseguia quando tocava siririca… Nem meu namorado me fazia gozar daquele jeito. Fomos tomar nosso café da manhã, e depois ele me puxando pra sentar no seu colo.
– Me mostra seus peitinhos?
Levantei minha blusa tirando-a por cima da cabeça e logo meu avô caiu de boca chupando bem gostoso e ao mesmo tempo com a mão brincando com o biquinho do outro.
– Hummmmmm… Hummmmmmm…
Fui sentindo ele ficando de pau duro debaixo da minha bunda e novamente minha bucetinha foi ficando toda molhadinha.
– Que me colocar na mesa, igual fez com minha mãe?
Ele novamente tirou meu short e minha calcinha, me posicionou encostada na mesa com minha bundinha empinada, e me mandando abrir as pernas foi colocando seu pau na portinha. Quando ele começou a empurrar e fui sentindo entrando aquela coisa grossa na minha delicada bucetinha foi me dando um calor por todo meu corpo.
– Enfia tudo vô… Aaaahhhh… Aaaaahhhh… Aaaaiiiiiii!!!!
O pau grosso fazia uma pressão enorme na minha bucetinha e o vai e vem foi me fazendo ter o meu segundo orgasmo com meu avô, gemendo muito alto.
Tô goooozannnnndo vô… Meeeete… Meeeeete!!!!
Ele ainda ficou socando por mais uns dois minutos antes de tirar e gozar sobre minha bunda, pra ele mesmo limpar toda sua porra usando papel toalha. Antes de ir tomar um novo banho, voltei a sentar no seu colo, peladinha da cintura pra baixo.
– Adorei vô!
– Caralho Cristina… Foi a bucetinha mais gostosa que já meti.
– Safado, kkkkk!…
Ele passando e até enfiando o dedo na minha bucetinha.
– Safadinha do vovô!…
Combinamos de que eu ia continuar fingindo que não sabia de nada sobre ele e minha mãe, e que, só íamos poder fazer mais sexo quando estivéssemos sozinhos em casa… Não podíamos dar nenhuma bandeira. Passei quase todos os dias fazer alguma sacanagem com meu avô: Mamava na sua piroca, ele chupava ou metia na minha bucetinha me fazendo ter deliciosos orgasmos. Um dia estávamos deitados na cama após ele meter muito na minha bucetinha, ele reclamou da minha mãe que ela não deixava colocar na bundinha.
– Ué vô, é que ela não deve gostar, né?
– Eu sei… É que quando era mais novo eu gostava muito de uma bundinha.
– É vô? De homem também?
– Kkkk… Cheguei a comer algumas de homem, também!…
Não conseguia entender como meu avô naquela idade conseguia ficar de pau duro com tão pouco tempo após ter gozado sobre meus peitos, após meter na minha bucetinha. Eu estava acariciando seu pau mole que começava a reagir.
– Você é tarado?…
– Hummmm… Não! Por quê?
– É que você já está ficando de pau duro!…
– É que você está mexendo com ele, ué!…
Continuei mexendo até que ele ficou bem duro. Com a intenção dele meter novamente na minha bucetinha e me fazer ter um novo orgasmo, fui ficando de quatro sobre a cama a seu pedido. Ele meteu por alguns minutos na minha bucetinha e parou com seu pau todo enfiado em mim acariciando minhas nádegas e passando o dedo seu meu cuzinho.
– Você já deu a bunda pro namorado?
Quando ele falou sobre minha mãe, cheguei a imaginar ele me comendo por trás… Resolvi ser bem sincera.
– Já sim vô… Mas meu namorado não gosta muito não!…
Ele tirando da minha bucetinha e encostando no meu cuzinho.
– Ele deve ser muito bobão… Você tem uma bundinha e um cuzinho lindos.
Senti meu avô forçando seu pau no meu cuzinho e travei.
– Relaxa Cristina… Só vou enfiar a cabeça, tá bom?
– Tá bom vô!…
Quando a cabeça entrou, rebolei sentindo a pressão… Ele segurando minha cintura com as duas mãos.
– Posso enfiar mais um pouco, posso?
– Aaaaaaahhhhhh… Pooooode!…
Senti aquela trolha alargando meu cuzinho até que seus pentelhos encostarem nas minhas nádegas… Ele tinha enfiado tudo. Lógico que doía um pouquinho, mas, era algo tão prazeroso que voltei a rebolar e pedir pra ele começar a meter.
– Ooooh meu Deus… Que cuzinho gostoso!…
– Vai vô… Mete mais forte… Vaaaiiii. Vaaaiiii!!!!…
E sua virilha passou a bater forte nas minhas nádegas por vários minutos, até ele ficar parado e gozando lá no fundo… Delicioso!
Meu pai voltou somente um ano depois, para ficar apenas um mês de férias. Ele desconfiava que minha mãe tinha outro homem e ela também sabia que ele devia ter outra mulher em Portugal… Mesmo assim devem ter transado muito. Meses depois, nas minhas férias, fui pra Portugal ficar alguns dias com meu pai. Lá é que fui descobrir que ele morava em um dos quartos do hotel. Em apenas três dias, do sofá fui ficar com ele na cama e acabou rolando (mas essa é outra história).

5 comentários sobre “Flagrei Meu Avô metendo na minha mãe safada

Deixe um comentário

CAPTCHA



Online porn video at mobile phone


conto eroticonovinhos na punhetaquero ser cornocontos eróticos de incestoscontos pornocontos eroticos meninas novinhascontos sexconto erotico travesticontos glscontos gay casa dos contosconto de incestocontos lesbicoscontos eroticos medicoconto erótico traiçãocontos insestoconto erótico lésbicocontos eróticos de cornoconto erotico.comcontos boquetecontos eroticos no onibuscontos eroticos de corno mansocontos de safadezahistórias eróticoscontos.eroticoscontos etoticoscontos gay primeira vezcontos eroticos maecontos de sexo no onibuscontos eroticos de coroascontos eroticos encoxadascontos de travestiscontos eorticoscontoeroticocontos eroticos.com.brcontos pornôconto erotico ginecologistacontos eroticos maeconto erotico encoxadacontos de.sexocontos de sexocontos eróticos traiçãocasos eroticoscontos gay casa dos contoscontos eróticos analcontos eróticos contos eróticoscontos eróticos cunhadacomi minha primaconto erotico incestocontos eroticos casadacontos porno de incestocontos eroticos gravidaconto erotico reaiscontos eroticos cunhadacontos erotixosrelatos eroticoscontos eroticos filhacontos eroticos femininocontos heroticos gaycontos podolatrascontoa eróticoshistoria eroticasenteada gostosarelatos e contos eroticoscontos eroticos corno mansorelatos eróticocontos eroticos analcontos eroticos de travestiscontos eroticos sograincesto contostransei com meu padrastoúltimos contos gaycomendo a madrastacontos eroticos novoscontos eróticos swingcontos eroticos namoradosconto erotico lesbicascontos eroticos incestoscontos eroticos encoxadascontos eróticos tiacontod eroticosputaria contosmeucontoeroticocontos eroticos novinhoconto incestocontos eróticos categoriacontos erótico gayscontos eroticos primeira vezcontos porno gayconto erotico no onibusconti eróticocomi minha prima contocontos gays reaisconto erótico no ônibusconto erotico traiçaocontos eroticos sogrocontos eroticos vizinha novinhacontos eroyicoshistória eróticos